Gadoo - Notícias e Curiosidades

14 histórias sinceras de quem encontrou sua metade da laranja

Compartilhe:

Encontrar a nossa metade da laranja pode ser uma das coisas mais incríveis de se conquistar na vida.

O fato é que ter alguém pra dividir a vida e nos amparar diante os desafios pode ser uma experiência sensacional.

Pensando nisso, trazemos aqui algumas histórias mostrando o quanto é bom estar ao lado de quem se ama.

Abaixo, confira 14 histórias sinceras de quem encontrou sua metade da laranja.

Dá só uma olhadinha:

· “Quando tinha 16 anos, meu pai nos abandonou. Nós nos mudamos para outra cidade e fui para outra escola. Eu estava sofrendo o estresse do divórcio dos meus pais e parei de falar completamente. Quando me mudei para uma nova classe, gostei de um garoto e lhe escrevi sobre meu problema em um pedaço de papel. Ele não desistiu e nos inscreveu em uma atividade literária. Ele fez isso para que eu pudesse sair do poço em que estava. E, aos 18 anos, ele me pediu em casamento e eu consegui dizer “sim” para mim mesma. Nós estamos casados há 5 anos, temos um filho de 2 anos e costumamos cantar tocando violão”.

· “Um cara de quem eu gostava confessou seu amor. E tudo mudou na minha vida ao mesmo tempo: queria trabalhar, fazer as coisas, viajar… mesmo se fosse para limpar e lavar a louça, faria qualquer coisa. E o mais importante: queria viver. Viver a minha vida de verdade. Morder um pêssego macio e suculento e deixar o suco fluir pelas minhas bochechas. Tudo aconteceu como resultado disso. Percebi, então, o que significava ser eu mesma”.

Histórias sinceras de quem encontrou sua metade da laranja

Seleção traz 14 histórias sinceras de quem encontrou sua metade da laranja. Histórias provam o quanto é bom estar com alguém que se ama. Foto: © pixabay.com  

· “Meu namorado vive a 2 mil quilômetros de mim. De carro demoram dois dias. Há uma semana, não respondi às suas chamadas e ao SMS (eu estava dormindo). No dia seguinte, à noite, a campainha tocou no meu apartamento. E lá estava ele, tinha medo de que algo tivesse acontecido comigo”.

· “Pouco tempo atrás, finalmente entendi o quanto ele me ama. O meu homem odeia costurar, mas vendo o quanto eu estava cansada, depois de trabalhar sete dias por semana, sem folga, fez a bainha do vestido que eu usaria na festa da empresa. Ele estava tão concentrado… estava até com a ponta da língua de fora por causa da tensão e murmurava algo para si mesmo, como uma verdadeira costureira”.

· “Minha namorada ronca como um marinheiro bêbado. Sempre é difícil para mim adormecer. Mas uma vez ela passou uma semana com a mãe dela e percebi que sentia falta do ronco… Não dormi bem. No fim de semana fui vê-la e finalmente dormi profundamente com aquele doce motor de Boeing ao meu lado”.

· “Em toda aminha vida adulta tenho sido terrivelmente preguiçosa. Meus pais sempre lutaram comigo por causa da minha preguiça. Eu nunca cozinhava ou limpava nada. Sempre que saía da cama, fazia isso depois de alguns gritos e com lágrimas fazia os serviços da casa. Um ano atrás eu me apaixonei perdidamente por um cara. E voilá! Eu me levanto facilmente pela manhã, me movimento pelo apartamento de bom humor, voando como uma borboleta, cantando e cozinhando deliciosos pratos quentes, a casa está sempre limpa, a roupa lavada e passada. Meus pais estão muito felizes, mas eles não querem pensar sobre isso. Imagino que, em silêncio, rezam para que, um dia, ele me peça em casamento”.

· “Terminei com meu primeiro namorado porque, quando voltei do trabalho, não tinha preparado para ele um jantar completo com três pratos. O segundo eu deixei uma semana antes do casamento, porque eu não ajudava sua mãe a colher morangos (ele não se importava que eu tivesse uma alergia terrível a essa fruta). Recentemente, fui morar com um amigo da minha juventude e agora estamos planejando nosso casamento. Às vezes chego em casa do trabalho cerca das 10 horas da noite. A casa está limpa, o jantar está quente e ele ainda me faz um pouco de chá. E não importa quão preguiçosa eu seja, sinto vontade de lhe fazer 3 pratos e ajudar na colheita de batatas no terreno de seus pais”.


PUBLICIDADE

· “A temperatura do meu corpo geralmente é muito alta. As palmas das minhas mãos suam muito. Sempre fui muito tímida por isso e ficava muito envergonhada quando me diziam: “Suas mãos estão muito suadas”. Mas meu namorado, em nosso primeiro encontro, disse que, como estava escrito em Romeu e Julieta, as mãos quentes e molhadas são um sinal de sensualidade e que ele adorava isso”.

· “Meu marido às vezes fala dormindo. Uma noite eu lia um livro na cama e ele já dormia. Então o ouvi dizer que estava com alguém em um diálogo divertido: “Eu a amo muito. Eu a amo tanto que gostaria que todos pudessem ter uma esposa como a minha… mas nem pense em olhar para a minha mulher“. Acho que meu casamento é um sucesso”.

· “Tenho medo de aranhas desde a época em que meu padrasto me deixava trancado no porão e eu os via pelas paredes e subindo em mim. Meus amigos e a minha ex-namorada sempre riram de mim. E eu ficava muito, muito irritado. É por isso que queria me curar dessa fobia, mas não conseguia. Sempre odiei sentir isso, até que comecei a namorar outra garota a quem confessei minha fraqueza. Agora ela pega as aranhas que vejo nas paredes e me acalma. Estou pensando em onde esconder o anel, para que ela não o encontre antes do tempo”.

· “Eu sou ’cadernófilo’, adoro artigos de papelaria em todas as suas formas, mas a minha maior paixão são os cadernos quadriculados, grampeados e, obrigatoriamente, com 48 folhas. Deve ser porque têm um design perfeito interno e externo. Toda vez que tenho de escolher um novo favorito, conto as suas folhas, porque temo que não seja ”virgem”. Minha namorada me encontrou fazendo isso e eu tive de lhe explicar tudo. Ela respondeu com calma que adora os lápis. Como resultado, ficamos presos em uma livraria por mais de meia hora. Eu a amo. E os cadernos”.

Foto:

Foto: © pixabay.com  

· “Estou de dieta. A única coisa que tenho em casa é arroz. Liguei para o meu namorado à meia-noite (ainda não vivemos juntos) para lhe dizer que estava morrendo de fome e não conseguia dormir. Friamente, respondeu que tinha de se levantar cedo no dia seguinte, então não podia conversar. Em 30 minutos, ele me trouxe um pedaço de bolo, sanduíches e ele me repreendeu pela dieta”.

· “Sou obcecada por ortografia e gramática. Um dia discuti com um cara que escrevia, mas que parecia nunca ter visto um livro de gramática na vida. No final, soube que ele era como eu, viciado, mas em matemática. Nós rimos e brincamos um com o outro por um tempo. Como resultado, concordamos em nos dar aulas. Bem, foi assim que começou. Nós estamos saindo há quatro anos e recentemente ele me pediu em casamento. Teremos as contas da festa na ponta do lápis e um convite super bem escrito”. :)

· “Tenho cabelo preto e a pele muito pálida, se eu pinto meus olhos com cores vivas, pareço uma bruxa de verdade. Estava no metrô e uma idosa entrou, olhou para mim e começou a se benzer. Decidi brincar e comecei a fingir que estava fazendo magia com as minhas mãos. O cara, que estava sentado ao meu lado, notou e começou a tremer, a mexer os olhos e a dizer que algo o possuía, a senhora entrou em estado de choque. Eu quase não conseguia segurar o riso. Na estação que desci, o cara correu atrás de mim. Estamos casados há 5 anos. No casamento, meu primeiro brinde foi… para a supersticiosa vovó do metrô!”

Fonte: Incrível

Gostou? Então compartilhe:
Quer receber mais coisas interessantes? Curta nossa página no Facebook:
Deixe seu comentário:
Gadoo - Notícias e Curiosidades
© Todos os direitos reservados | Gadoo