Gadoo - Notícias e Curiosidades

15+ Histórias reais que poderiam facilmente ser roteiro de filme de terror

Compartilhe:

Algumas coisas que acontecem no dia a dia podem facilmente se tornar um enredo para uma verdadeira e autêntica história de terror.

Você possivelmente já se assustou em alguma ocasião da sua vida, e depois resolveu contar o ocorrido para os amigos – sendo algumas vezes taxado de mentiroso(a).

Isso porque o que aconteceu com você era digno de um filme de terror. Portanto as pessoas não creram na história. Bom, mas se você nunca viveu isso, não tem problema. Abaixo trazemos uma lista de histórias assustadoras que aconteceram de verdade com os internautas.

Veja só:

  • Precisei ir a uma loja trocar uma calça por um tamanho maior. Nunca estive na loja, pois foi outra pessoa que comprou a calça. Cheguei ao endereço, dei a volta no prédio três vezes, mas não achei nada. Imaginei que deviam ter fechado. Voltei para casa e vi que o endereço estava certo. No dia seguinte, voltei ao local e achei a loja! Mas como não estava lá na noite anterior? Será que entrei em alguma realidade paralela pela primeira vez? © FatRussian / pikabu
  • Trabalho em um hospital psiquiátrico. Um rapaz conseguiu deixar toda a nossa equipe nervosa. Os vizinhos dele nos chamaram, alegando que o garoto não parava de gritar à noite e escutavam também uivos de animais. O apartamento dele poderia facilmente ser cenário de qualquer filme de terror: cortinas costuradas umas nas outras; desenhos e frases escritas na parede com giz; uma espécie de altar no meio do quarto com velas acesas e fotos antigas de uma jovem. Enquanto ele se preparava, um dos ajudantes assoprou uma das velas, e o menino começou a gritar dizendo: “NÃO FAÇA ISSO, ELA NÃO VAI GOSTAR, ELA GOSTA DE CALOR”. Antes de sairmos, é claro, apagamos todas as velas, pois iríamos levá-lo para ser tratado no hospital. O mais estranho foi que, durante o tempo que ele passou conosco, os vizinhos ligaram outras vezes para dizer que não tínhamos feito nosso trabalho, pois o rapaz continuava fazendo barulhos à noite. © atmosfear
  • Isto aconteceu há três dias, e ainda estou nervoso. Tive um sonho com a minha ex-namorada. Terminamos há uns 10 anos: morávamos juntos, mas não éramos casados. Hoje ela tem um marido, crianças, e eu também. Sonhei que estávamos passeando, nos abraçando, conversando, até que, de repente, ela se virou e perguntou: “Por que você não me pediu em casamento? Casa comigo!” Fiquei com calafrios nessa hora, pensando que minha mulher poderia descobrir (não sabia que estava sonhando). Respondi que era tarde e que já estava casado. Acordei. Quando me levantei, vi minha esposa sentada no computador, e ela disse: “Tem uma mulher te escrevendo aqui, dizendo que gostaria de sair para tomar um café com você e conversar. Você não quer me contar nada?” Quase tive um infarto! Não nos falávamos há uns três anos. O que foi isso?! © nemoder777 / pikabu
  • Trabalhava com câmeras de vigilância. Meu chefe me chamou e disse: “Uma amiga antiga da minha família precisa de uma ajuda. Ligue para ela e resolva o que ela precisar”. Liguei e fui à casa dela conversar. Essa senhora desconfiava que o marido estava saindo com uma mulher mais jovem, e os dois deviam estar tentando “se livrar” dela. Disse que colocaram uma cruz de cemitério quebrada perto da janela e arranharam a parede do quarto com uma faca para tentar assustá-la. Realmente dava para ver os vestígios dos arranhões. Instalei as câmeras e verifiquei as imagens durante uma semana, mas não vi ninguém. Nem mesmo o marido apareceu. O chefe me chamou novamente: “Por que não fez o que pedi? A cliente está reclamando” — “Olha, diretor, o marido da sua querida amiga, aparentemente, encontrou uma outra mulher. É o que ela alega…” — “Espera, o que disse? O Fulano encontrou outra mulher?” — “Sim, mais nova”. — “Mas… Ele morreu há mais de 10 anos…” © Sever30007 / pikabu

  • Minha professora contou esta história. Em uma noite de verão, ela foi à varanda e viu uma mulher andando pela rua — uma mulher comum e completamente desconhecida. Nessa hora, ela teve uma sensação terrível e, com dificuldade, conseguiu se deitar na cama. Após alguns minutos, a campainha tocou. O marido se levantou para abrir a porta, mas ela disse: “Não abra! Aconteceu algo com meu irmão”. O homem não entendeu e foi abrir mesmo assim. Era um funcionário do correio levando um telegrama para informar que o irmão dela havia se afogado num rio. Minha professora explicou que, no momento que viu aquela mulher, percebeu imediatamente que o irmão, que ela tanto amava e era muito próximo, não estava mais lá. © Елена Корчагина / facebook
  • Tenho uma relação estranha com relógios. Duas vezes na minha vida, meus relógios de pulso, sem explicação lógica, pararam de funcionar por algum tempo e depois começaram a “andar” no sentido contrário. Na primeira vez, não dei bola, achando que era devido à má qualidade. Logo em seguida, no entanto, minha mãe foi levada às pressas ao hospital e faleceu após uma cirurgia. Depois, o relógio voltou a funcionar normalmente. Na segunda vez, minha irmã havia acabado de voltar para casa após uma operação, e o relógio, mais uma vez, começou a “andar para trás”. Ela faleceu seis meses depois. © Tatiana Shchepakina / facebook
  • Há muito tempo, quando eu tinha 19 anos, uma amiga faleceu. Comecei a sonhar com ela me chamando para visitá-la e, um dia, finalmente pulei na cova. Senti a mão forte de um homem me segurar e me tirar dali. Um mês mais tarde, tive de arrancar um dente e acabei contraindo uma infecção. No terceiro dia, estava muito mal e as dores eram terríveis. Me internaram no hospital. Fiquei junto de uma senhora que não podia andar. Uma noite, saí do quarto e, quando voltei, me contorcendo de dor, vi uma mulher sentada na cabeceira da minha cama, vestida de preto, com o rosto coberto por um capuz. A princípio, achei que havia entrado no quarto errado, mas a mulher me chamou e apontou para a cama: “Deite-se, você vai se sentir melhor”. Não fiquei com medo, me deitei e consegui dormir como um anjinho (até então não descansava direito por conta das dores). Ao acordar, vi a senhora que não andava sussurrando algo na beirada da minha cama. Ela, então, se virou e foi deitar no seu leito. No mesmo dia, fui levada para outro hospital, onde me operaram e acordei dois dias depois sentindo a mão forte do médico, que havia me salvado. Era a mesma mão que havia me tirado daquela cova. E aquela senhora estava rezando por mim para a morte não me levar. A velhinha já morreu há muito tempo (nunca saiu daquele hospital), mas ainda sigo rezando por ela. © Татьяна Ким / facebook
  • Tinha 12 ou 13 anos quando meus pais me enviaram para um acampamento. Em uma noite, decidimos ir a uma igreja que havia por perto. A construção era muito antiga, e havia uma cúpula com janelas onde o sino deveria estar. Toda a área parecia estar abandonada e estava protegida por uma cerca. Pulamos e entramos. No meio do salão havia um enorme buraco no chão com tábuas de madeira por cima. Nessa hora, escutamos um barulho vindo do buraco. Fizemos total silêncio, pensando que alguém deveria estar brincando, mas o barulho ficou mais intenso. Saímos correndo e, ao olhar para trás, vimos uma pessoa no topo da torre segurando uma tocha. Nunca mais falamos sobre essa história. © Людмила Костян / facebook


PUBLICIDADE

  • Era sábado à noite. Enquanto meu marido assistia a um filme no celular, eu dormia no quarto. Na manhã seguinte, acordei e vi uma chamada perdida do meu marido às 2h11. Depois, ele mostrou 14 fotos no celular, assim como vídeos, que haviam sido feitos durante a madrugada (imagens do escuro por alguns segundos e fotos da janela tiradas às 2h16). Meu marido dormiu na sala, mas quem tirou essas fotos e fez esses vídeos?! O telefone dele só pode ser acessado com a impressão digital. © ideer
  • Uma amiga me aconselhou a colocar, na porta de entrada, uma cabeça de alho pendurada em uma linha para espantar mau-olhado e inveja. A princípio, qualquer pessoa que desejasse mal à minha família não passaria da porta ou simplesmente nem viria. Agora, minha melhor amiga, um colega do trabalho e os parentes do meu marido pararam totalmente de vir à minha casa. Sempre que marcamos algo, eles ligam depois dizendo que surgiu algum “imprevisto”. © ideer
  • Minha companheira de quarto fala enquanto está dormindo, e eu já estou acostumada com isso. Ela suspira, murmura algo e depois solta frases como “Cuidado com o caco de vidro no chão” ou “Aquele pássaro é assim mesmo”. Uma noite, após me deitar para dormir, escutei ela murmurar novamente e imaginei que diria algo como de costume. Depois de alguns segundos, me lembrei que ela estava dormindo na casa do namorado. Evidentemente, tive de passar a noite embaixo das cobertas até o amanhecer. © ideer
  • Havia um menino no meu jardim de infância e tudo de que me lembro era que ele era mais alto que eu e que fazíamos aniversário no mesmo dia. Lembro, também, de poucas conversas juntos e de algumas brincadeiras. Mas, depois, esse menino parou de frequentar as aulas e imaginei que ele havia sido transferido para outra turma. Porém, o que é mais estranho é que não encontro ele em nenhuma das fotos antigas da nossa classe. E o que é ainda pior? NINGUÉM se lembra dele. Será que ele foi apenas uma fantasia da minha cabeça?! © ideer
  • Lembro claramente de quando meus pais me levavam para nossa casa de campo quando eu ainda era criança. O lugar era lindo, e eu adorava brincar na rua, mas, por algum motivo, meus pais nunca me davam muita atenção enquanto estávamos lá. Há pouco tempo, começamos a falar sobre esse assunto e compartilhei minhas memórias: a rua, a casa, o jardim. Foi aí que eles disseram que haviam vendido aquela casa um ano antes de eu nascer e, desde então, nunca mais voltaram para lá. © ideer

  • Eu e uns amigos fomos passar um final de semana em uma outra cidade. Em uma área próxima ao nosso hotel, vimos uma escola abandonada. Decidimos explorar apenas por curiosidade e nos deparamos com uma grande pilha de lixo. Muitas coisas não estavam em bom estado, incluindo um gramofone: além de estar coberto de sujeira e poeira, não estava funcionando. Não pegamos nada e saímos. Quando já estávamos na rua principal, escutamos o gramofone tocar de dentro daquele prédio. Começou com um som baixo, mas depois ficou tão alto, que me deixou morrendo de medo. Achei que estava louca, até meus amigos dizerem que também ouviram. © ideer
  • Dou aulas em uma escola que já tem mais de 50 anos. Após uma das aulas, saí no corredor e era como se tudo tivesse mudado: o chão tinha passado a ser de madeira (antes, era laminado); as paredes se tornaram brancas (eram amareladas) e as janelas de plástico tinham passado a ser de madeira. E não se via ninguém. Desci para o primeiro andar e havia um cartaz na parede: “Feliz Ano Novo, turma de 1965!” Só me lembro de acordar, depois, na área da enfermaria, pois havia desmaiado. © ideer

Gostou? Então compartilhe:
Quer receber mais coisas interessantes? Curta nossa página no Facebook:
Deixe seu comentário:
Gadoo - Notícias e Curiosidades
© Todos os direitos reservados | Gadoo